Quantas vezes temos dúvidas se estamos agindo corretamente com nossos alunos ou filhos? Quantas vezes nos perguntamos se fomos muitos duros ou se fomos muito permissivos? A dra. Jane Nelsen também se questionava sobre isso na educação de seus próprios filhos. Mas depois que conheceu o trabalho de Alfred Adler e Rudolf Dreikus, criou subsídios para desenvolver o programa de Disciplina Positiva – hoje conhecido por ser utilizado com sucesso em escolas e em ambientes familiares ao redor do mundo.

O objetivo do programa é encorajar crianças e adolescentes a tornarem-se responsáveis e a serem respeitosos. Outros autores também trabalham o tema, fornecendo dicas preciosas para que pais e educadores reflitam em torno do ensino de habilidades sociais e questões da vida comum aos pequenos e aos adolescentes. Em português – por enquanto – temos apenas o título Disciplina Positiva, do qual tive o privilégio de participar da tradução.

Sobre Alfred Adler e Rudolf Dreikus

Rudolf Dreikurs e Alfred Adler

Rudolf Dreikurs e Alfred Adler

A Disciplina Positiva é baseada no trabalho de dois psiquiatras vienenses: Alfred Adler (1870-1935) e Rudolf Dreikurs (1897-1972). Adler foi psiquiatra do exército austríaco durante a primeira guerra e, depois do conflito, começou a ensinar pais e educadores a lidarem de forma mais efetiva com jovens, usando princípios democráticos de dignidade e respeito. Ele acreditava que as crianças precisavam tanto de ordem (estrutura e responsabilidade), quanto de liberdade para crescer como cidadãos contribuintes e responsáveis em sua comunidade. Adler via o comportamento humano como um movimento em direção ao senso de pertencimento (conexão) e importância. Apesar de ter desenvolvido sua filosofia há um século, sem os recursos da tecnologia moderna, a neurociência tem validado suas teorias baseadas na observação cuidadosa do comportamento humano.

Dreikurs foi aluno de Adler, dirigiu um dos centros de orientação e escreveu o livro “Children: the Challenge” (Crianças: o desafio). O primeiro livro de Jane Nelsen (Positive Discipline)  foi lançado há mais de 30 anos inspirado nos trabalhos de Adler e Dreikurs.

Disciplina Positiva

Disciplina Positiva: 5 critérios

Não dá para começar a falar de DP sem mencionar os seus 5 critérios:

  • Ajudar a criança a sentir CONEXÃO (Sentir que pertence à família/escola e sentir-se importante);
  • Encorajar RESPEITO MÚTUO (Firmeza e gentileza ao mesmo tempo);
  • Funcionar em LONGO PRAZO (Considerar o que a criança está pensando, sentindo, aprendendo e decidindo sobre si mesma e sobre seu meio social – e sobre o que fazer no futuro para sobreviver e para ser bem- sucedido);
  • Ensinar HABILIDADES SOCIAIS e HABILIDADES DE VIDA (Respeito, cuidado para com os outros, resolução de problemas e cooperação);
  • Incentivar a criança a DESCOBRIR SUAS CAPACIDADES. (Encorajar o uso construtivo do poder pessoal e autonomia).

Vamos falar um pouco sobre cada um desses critérios, individualmente, com a profundidade que eles merecem, em diferentes artigos e, para começar, tratarei da Conexão:

Em relação à importância da criança sentir CONEXÃO, Jane Nelsen explica que “Aceitação e importância são os objetivos primários de todas as pessoas, especialmente as crianças.”.

Sentir conexão é sentir que pertence à família, é sentir-se importante, aceito, necessário.

Disciplina Positiva

Um exemplo para desenvolver esse senso de pertença em nossos filhos:

Demonstre que você está ouvindo. Seus filhos estão tendo a impressão de que não são importantes? Quantas vezes falamos para eles: “Pode falar, filho, estou te ouvindo” e continuamos a fazer outras coisas, como dirigir, cozinhar, a mexer no celular? Será que estamos sendo bons ouvintes? Realmente atentos ao que eles estão nos dizendo? Sabemos que nossos filhos nos dizem muito através de palavras, mas também com seus olhares, postura, pequenos gestos. Estamos sendo capazes de nos conectar com nossos filhos e OUVIR atentamente o que estão querendo nos dizer? Algumas dicas são:

  • Olhos nos olhos. Se necessário, abaixe-se para ficar na altura dos olhos dele e fale respeitosamente ou simplesmente o escute com atenção. Observe que falamos de forma mais gentil se nos esforçamos para olhar nos olhos da criança. É a conexão que se estabelece pelo contato visual.
  • Pare o que você estiver fazendo. Avise seu filho quando você poderá ouvi-lo com total atenção e faça isso. Não se distraia com outros objetos ou pessoas. Dedique esse tempo especial a ele.
  • Demonstre empatia procurando se colocar no lugar do seu filho. Valide os sentimentos dele dizendo: “Eu imagino como você está se sentindo…”
  • Pergunte (em vez de falar): “Como podemos resolver isso? Você tem alguma sugestão? ”
  • Ofereça (em vez de impor) ajuda: “Como posso te ajudar?” E, sempre que necessário, reafirme seu amor: “Eu te amo e sei que conseguiremos achar uma solução para essa questão juntos.”
  • Demonstre afeto, carinho. Muitas vezes estamos tão ocupados com nossas funções de mães e pais que deixamos pouco tempo para demonstrarmos através de gestos carinhosos e palavras todo nosso afeto por eles!

 

Espero que tenha gostado! Vamos trocar ideias. Deixe suas impressões, dúvidas e sugestões nos comentários dessa publicação!

 

disciplina-positivaAutoridade no assunto, a renomada psicóloga, educadora e mãe de sete filhos Jane Nelsen desenvolveu o conceito de Disciplina Positiva a partir das teorias de Alfred Adler e Rudolf Dreikurs e concebeu um programa altamente eficaz em que a disciplina é ensinada de uma maneira respeitosa e encorajadora, tanto para as crianças como para os adultos. Uma das frases mais populares da autora é: “De onde tiramos a absurda ideia de que, para levar uma criança a agir melhor, precisamos antes fazê-la se sentir pior?” A chave da Disciplina Positiva é a não punição, enfatiza ela, que defende o respeito mútuo. Jane ensina pais e professores a serem firmes e gentis ao mesmo tempo, de modo que qualquer criança – de bebês a adolescentes rebeldes – possam aprender cooperação e autodisciplina sem que sua autoestima e dignidade sejam prejudicadas. Alinhada com as diversas mudanças na forma de educar os filhos ocorridas nas últimas décadas, esta obra foi atualizada e contempla por exemplo o fato de atualmente cada vez mais homens se engajarem em seu papel de pais, além de abordar os perigosos efeitos da superproteção, outra questão contemporânea que merece atenção. Disciplina Positiva é uma leitura indispensável para todos aqueles que desejam ensinar aos seus filhos ou alunos habilidades sociais e de vida valiosas para a formação de um bom caráter, além de aprender princípios que funcionam e fornecem uma ótima base para o enriquecimento da experiência familiar.

http://www.omnisciencia.com.br/disciplina-positiva/p

 

Bete P. Rodrigues é mãe há 19 anos e professora há mais de 30 anos. Formada em Letras (PUC- SP), tem mestrado em Linguística Aplicada (LAEL- PUC/ SP), e atualmente é palestrante, coach (formada pelo ICI reconhecido pelo ICF), consultora em educação e professora na COGEAE- PUC/SP. Tem larga experiência como professora, coordenadora e diretora pedagógica em diferentes contextos (escolas de línguas, escolas particulares e públicas, ONGs). Estuda sobre Disciplina Positiva desde 2008, é membro da Positive Discipline Association e certificada como Positive Discipline Trainer . É a tradutora do livro Disciplina Positiva pela Ed. Manole e acabou de traduzir também o livro Disciplina Positiva na sala de aula que será lançado em 2017.


Via: http://www.culturadapaz.com.br/afinal-o-que-e-disciplina-positiva/

Últimos posts por Bete P. Rodrigues (exibir todos)