Estamos em uma época com diversidade de temas e atividades como nunca.  Temos de tudo para todos os gostos.  Mas muitas pessoas ainda buscam por respostas para um tema bem atual, porém procurado pela humanidade há muito tempo: a felicidade. Os caminhos são muitos, as ideias de como alcançar o bem-estar são quase infinitas.

A felicidade, no entanto, está bem perto de nós. Na verdade, está dentro de nós!  É importante termos consciência do que devemos fazer para sentirmos bem-estar, equilíbrio e sermos felizes!  Tire o foco no que está fora, traga sua energia para dentro e descubra que a felicidade já está em você! A Yoga pode te ajudar nisso.

Se saíssemos à rua agora e perguntássemos às pessoas o que é yoga,  a resposta mais provável seria: aptidão física, as posturas, muitas vezes diferentes e difíceis de realizar.  Sim, também praticamos estas posturas (chamadas  asanas), mas a Yoga não é só isso.

Estamos falando de um método que aborda todos os aspectos de nossa existência.  Pela prática natural, os ensinamentos são percebidos e sentidos em nosso corpo e em nossa mente.

lotus-1028393_960_720

Há milhares de anos, alguns sábios indianos nos deixaram um legado especial: o conhecimento da ciência da Yoga, cuja essência é exatamente a de mostrar um caminho por meio do qual poderemos alcançar estágios mais avançados de consciência.

A palavra yoga deriva da língua sânscrita, e sua raiz yuj significa união.  Paramahansa Yogananda, grande mestre da ciência da meditação na linha da Yoga, define esta palavra como união da alma individual com o Espírito; e também o conjunto de métodos pelos quais se alcança esse objetivo.

A história da Yoga como doutrina tem cerca de 5.000 anos e sua codificação se deu por volta do século II  A . C ., por Patânjali, grande sábio que compilou os ensinamentos da Yoga através de um sistema respeitado e reconhecido até hoje, onde ele apresentou os 8 passos para a iluminação ou estado de união com o Divino:

 

“O sistema de Yoga de Patânjali é conhecido como Senda Óctupla. Os primeiros passos são: (1) yama, conduta moral, e (2) niyama, autobiografia de um iogueobservâncias religiosas. Cumpre-se o yama por meio de: não ofender os outros, falar a verdade, não roubar, ser comedido e não cobiçar. As prescrições de niyama são: pureza de corpo e de mente, contentamento em todas as circunstâncias, autodisciplina, autoanálise (reflexão) e devoção a Deus e ao guru.

Os passos seguintes são: (3) asana (postura correta), a coluna vertebral precisa estar reta e o corpo firme, em posição confortável para a meditação; (4) pranayama (controle do prana, as correntes vitais sutis); e (5) pratyahara (retirar os sentidos dos objetos exteriores).

Os últimos passos são formas de yoga propriamente dita: (6) dharana (concentração), manter a mente numa só ideia; (7) dhyana (meditação) e (8) samadhi (experiência superconsciente). A Senda Óctupla de Yoga leva à meta final de Kaivalya (O Absoluto), em que o iogue experimenta a Verdade acima e além de toda compreensão intelectual.”

                                Paramahansa Yogananda em “Autobiografia de um Iogue”

 

Ao praticarmos Yoga com determinação e regularidade, vamos obter muitos benefícios físicos e mentais,  o que nos ajudará a manter a saúde de forma simples e harmoniosa. O caminho da Yoga nos leva à expansão da consciência para que possamos compreender a importância de pensar, sentir e agir com calma, serenidade e muito amor!

As sete linhas principais da ciência da Yoga, segundo o livro “A Yoga de Jesus” – de Paramahansa Yogananda – são:

– Hatha Yoga – Sistema de posturas físicas ou asanas, cujo propósito superior é purificar o corpo, dando à pessoa consciência e controle de seus estados interiores, tornando-a apta para a meditação.

– Karma Yoga – Serviço isento de egoísmo aos outros como partes do Eu mais amplo da pessoa, sem apego aos resultados, e prática de todas as ações com a consciência de que Deus é o Fazedor.

– Mantra Yoga – Concentração da consciência no interior por meio de japa, ou repetição de certos sons de palavras-raízes universais que representam aspectos particulares do Espírito.

– Bhakti Yoga – Devoção de entrega total, por meio da qual a pessoa empenha-se em ver e amar a divindade em todas as criaturas e em todas as coisas, sustentando, desse modo, um culto incessante.

– Jnana Yoga (pronuncia-se “gyana ioga”/ “gy” como “gui” em “guitarra”) – Caminho de sabedoria, que dá ênfase à aplicação da inteligência discernidora para alcançar a libertação espiritual.

– Raja Yoga – O caminho “régio” ou supremo da Yoga, que combina a essência de todos os outros caminhos, sistematizado formalmente, no segundo século a.C., pelo sábio indiano Patânjali.

No cerne do sistema Raja Yoga, equilibrando e unificando essas diferentes abordagens, está a prática de métodos científicos definidos de meditação – como Kriya Yoga – que capacitam a pessoa a perceber, desde o início mesmo de seu esforço, vislumbres da meta final: a união consciente com o Espírito inexaurivelmente bem-aventurado.

Neste mesmo livro, Paramahansa Yogananda diz: “A yoga consiste em um processo simples de reversão do fluxo de energia e consciência, habitualmente dirigido ao exterior, de forma que a mente se converta em um centro dinâmico de percepção direta – não mais dependente dos sentidos falíveis, mas capaz de conhecer de fato a Verdade, por experiência direta.”

A maioria de nós está acostumada a procurar a realização fora de si, mas apesar de todo esforço, enquanto não nos voltarmos para dentro, sempre haverá um anseio por “algo mais”. A Yoga supre essa lacuna promovendo uma conexão profunda e direta com a realidade, destituída de véus e dogmas. Isso perpassa pela própria concepção do que é a vida:  “matéria é energia condensada”; afirmou o cientista Albert Einstein.

Alguns desses físicos modernos dão um passo adiante, identificando a consciência como o fundamento de tudo o que existe. Isso confirma os antigos princípios da Yoga, que falam de haver uma unidade permeando todo o universo.

A energia vital

Todos os órgãos do nosso corpo interagem com a energia vital: na Yoga chamamos essa energia de prana, que tende a se equilibrar com a prática constante. O funcionamento vital do organismo passa a  trabalhar  com tranquilidade,  o que gera saúde e bem- estar para o  corpo físico e campo mental.

Devemos conversar com nosso corpo físico: como estamos nos sentindo; o que nossa estrutura física está nos dizendo através de todo o nosso organismo? Sinto alguma dor, peso, desconforto? Pare um pouco, feche seus olhos e fixe o pensamento no ponto onde sente algum desconforto.  Relaxe por alguns instantes, respire levando a atenção para aquele ponto. Peça ajuda à Consciência Divina para resolver o problema. Nosso corpo é como uma casa, temos que deixá-lo sempre em boas condições para que possamos habitá-lo. O mais importante é a nossa atitude mental perante o problema.

Devemos dar atenção especial aos nossos pensamentos.  São o alimento de nossa mente: no que estou pensando? Tenho pensamentos harmoniosos que inspiram força e coragem? Ou são pensamentos desanimados? É necessário suprir nossa mente com pensamentos bons que produzam mensagens de coragem, perseverança e boas ideias!

 padmasana-1024x682

Prática de Yoga

Deve ser realizada com frequência e determinação, de preferência em ambiente tranquilo, bem arejado. Use roupas confortáveis.

Eis aqui algumas das técnicas utilizadas para desenvolver a prática:

  • Asanas*: posturas básicas
  • Pranayamas: exercícios respiratórios
  • Relaxamento
  • Concentração
  • Meditação

*em sânscrito, a pronúncia é ássana.

Pratique sempre com muita calma, não tenha pressa e nem force o corpo em momento algum, respirando tranquilamente. A prática da Yoga tem por finalidade trazer paz e equilíbrio externo e interno e, portanto, exercitar a serenidade e a paciência.

Experimente algo bem simples……

 

Todos os dias, separe alguns minutos e pare. Sente-se numa postura confortável, feche os olhos e procure perceber no que você está pensando.  Não se preocupe, apenas pare e diga: no que estou pensando? Depois deixe que esses pensamentos sigam em frente sem se apegar a nenhum deles… Com o tempo perceberá que pode direcionar o que está pensando para o que pretende realizar. Mas lembre-se: pense sempre no bem, pois – de alguma forma – o que você pensa, sente e realiza retorna à sua vida!

 

Namastê!

Elma Martins

Elma Martins é professora de Hatha-Yoga formada na linha Yoga Clássico, praticante das técnicas de Kriya Yoga da Self-Realization Fellowship, e consultora sobre práticas de Yoga na Escola Arte de Ser. Contato: elma.mmartins@gmail.com


Via: http://www.culturadapaz.com.br/o-que-e-yoga/